Aqui e agora: os perigos da Internet

A propósito da rúbrica Aqui e Agora da SIC, que hoje foi dedicada aos “Perigos da Internet” (e já comentada aqui), e que por um motivo de força maior apenas pude assistir de passagem, gostava apenas de fazer o seguinte comentário:

De acordo com Melvin Kranzberg (1917:1995), um brilhante historiador da tecnologia:

a tecnologia não é boa, nem má, mas também não é neutra.

Ou seja, a tecnologia não é boa nem má, depende da utilização que as pessoas fazem dela. Por exemplo uma espingarda tanto pode ser utilizada para matar uma pessoa, como para reforçar a mensagem artística de um cartaz sobre o 25 de Abril.

Do mesmo modo, a Internet enquanto tecnologia de comunicação e informação,  tanto pode ser utilizada para a partilha de informação entre investigadores, dispersos pelo mundo, que trabalham na cura de uma determinada doença ou para recolher ajudas para as vitimas do Tsunami em 2004, ou como por outro lado, pode ser utilizada por algumas pessoas para suportar as suas actividades ilícitas, como o tráfico de droga.

Eleições Directas no PSD 2008

Eleições Directas no PSD 2008

Quem acompanha este blog há algum tempo, sabe que desde o início, este tem sido um espaço onde ocasionalmente vou realizando algumas experiências, como o Blogreporters entre outras.

A realização das eleições directas no principal partido de oposição em Portugal, com um tão grande número de candidatos, pareceu-me ser a ocasião perfeita para fazer mais uma experiência, criar um espaço – http://psd2008.lisbonlab.com – onde seja possível monitorizar o que é dito sobre os candidatos (e eventuais candidatos) e os mais recentes ex-presidentes, na blogosfera e noutros sites de referência da Web.

Quem quiser dar uma vista de olhos por esta experiência, basta ir até http://psd2008.lisbonlab.com. Neste novo espaço, graças ao Blogsearch do Google, poderá ter a lista dos últimos 20 textos existentes na blogosfera relativos a:

A história dos blogues em Portugal

Eis a minha contribuição para a discussão dos últimos dias (que apanhei aqui, aqui e aqui), com base numa secção do 1.º rascunho da minha dissertação de Mestrado sobre blogues.

« Os blogues em Portugal

Em Portugal, o fenómeno dos blogues apenas começou a dar os primeiros passos a partir de 1999, com o “Macacos sem galho” e o “Dee’s Life“, em Março e Outubro de 1999 respectivamente e o “Altas Doses de Cafeína” em Agosto 2000.

Tal como é referido no website “blogo“, numa iniciativa intitulada “25 momentos na história da blogosfera – Um olhar retrospectivo da blogosfera portuguesa” nesta primeira fase tratava-se de “um grupo ainda restrito de indivíduos, interessado sobretudo num registo intimista, e constituído na maioria dos casos por estudantes e adeptos das novas tecnologias” (2005).

A partir de 2001, surgem os primeiros blogues ligados à área do jornalismo e da comunicação social, como por exemplo o “Ponto Média“, cujo primeira entrada da autoria do jornalista António Granado, data de 2 de Janeiro de 2001. Em 2002 iniciaram actividade o “Jornalismo Digital” (Fevereiro), o “Jornalismo e Comunicação” (Abril), o “Contrafactos & Argumentos” (Setembro), a “Aula de Jornalismo” (Novembro), e o “Fim do Jornalismo” (Dezembro), entre outros.

No entanto, só em 2003 se assistiu ao verdadeiro crescimento da blogosfera nacional. No primeiro “recenseamento” da blogosfera nacional realizado por Pedro Fonseca, em Janeiro de 2003 foram encontrados 174 blogues. Em Julho do mesmo ano, aquando do encerramento do “Blogs em .PT“, um dos primeiros directórios portugueses de blogues, a lista deste serviço já reconhecia a existência de mais de 900 blogues nacionais.

Alguns dos mais importantes blogues da história da blogosfera nacional apareceram em 2003, como é o caso dos blogues humorísticos “Gato Fedorento” (Abril) ou “O meu pipi” (Maio), que julgamos terá sido, até ao momento, um dos blogues a gerar mais atenção à sua volta. Na área da política o blogue “Abrupto” (Maio) da autoria do historiador e comentador político José Pacheco Pereira, trouxe algum protagonismo à blogosfera portuguesa, conforme relata Querido & Ene (2003),

“A blogosfera portuguesa já mexia com mais de um milhar de editores a publicar numa base diária, mas faltava algo, um acontecimento de repercussão mediática, para lhe conferir a visibilidade que muitos reinvidicavam e colocar os blogs definitivamente na agenda.” (p. 23)

Segundo Querido & Ene, “José Pacheco Pereira tornou-se na primeira figura de dimensão nacional a ter um “blog” e a ser por isso notícia” (p.23). O “Abrupto” tornou-se assim rapidamente num dos blogues mais visitados e mais citados da blogosfera portuguesa, tanto noutros blogues, como inclusive na meios de comunicação social nacionais. Por exemplo, aquando da morte de Álvaro Cunhal, a reacção do ex-eurodeputado do PSD e biógrafo não oficial do líder comunista, foi efectuada exclusivamente através do seu blogue, o que motivou várias citações por parte dos media tradicionais.

O ano de 2003, fica igualmente marcado pelo aparecimento do primeiro espaço português de alojamento de blogues, o “Weblog.com.pt“, em Junho. Este inovador serviço da responsabilidade do jornalista Paulo Querido tinha por objectivo constituir-se como uma alternativa nacional à plataforma “Blogger“, anteriormente referida. Alguns meses mais tarde, em Novembro, é lançado o serviço “blogs do SAPO” do portal “SAPO“.

Por último, mas não menos importante, 2003 é também o ano, em que é editado, o primeiro livro português sobre weblogues, intitulado “Blogs“, da autoria de Paulo Querido e Luís Enes.

No final de 2003, o número de blogues em Portugal tinha já ultrapassado largamente os 2000, sobretudo graças à grande explosão do mês de Junho.

O crescimento verificado na blogosfera nacional em 2003, continuou a verificar-se nos anos seguintes, da mesma forma, que esta foi ganhando maior visibilidade junto dos media tradicionais. Este crescendo de notoriedade deve-se sobretudo a algumas figuras públicas que para além dos seus espaços de opinião pública em jornais, rádios ou televisões têm blogues onde escrevem periodicamente, como é o caso do já referido José Pacheco Pereira, com o Abrupto, Vital Moreira ou Ana Gomes com o “Causa Nossa“, Daniel Oliveira com o “Arrastão” ou Francisco José Viegas, primeiro com o “Aviz” e, mais recentemente com o “Origem das espécies“.

Mais recentemente, alguns media tradicionais passaram a incluir blogues nas suas versões online. Por exemplo no jornal semanário Expresso é possível encontrar 16 blogues sobre os mais variados temas, e no jornal diário Público para além de 3 blogues próprios, “Fugas“, “Timor” e “O provedor do Leitor“, alojados na plataforma “Blogger” é ainda possível ter acesso a 8 blogues convidados, incluindo o “Ponto Media” da autoria do jornalista e editor do “Publico.pt“, António Granado.

Outros meios de comunicação social reconhecem nos blogues um papel importante como meio de ligação entre alguns programas de televisão ou rádio e os espectadores ou ouvintes. Por exemplo na SIC-Notícias, os programas “Quadratura do Círculo” ou “O Dia Seguinte” dispõem de blogues onde os espectadores colocam as suas questões ou dúvidas aos comentadores residentes. A TSF, através dos “Fórum da TSF” e “Bancada Central“, prepara-se para introduzir o mesmo conceito.

Actualmente, a esmagadora maioria dos blogues portugueses encontra-se alojada no Blogger, nos blogs do SAPO, no Weblog.com.pt, adquirido em Janeiro de 2006 pela AEIOU, no Blog.pt ou num domínio e alojamento próprio. Alguns blogues mais antigos têm vindo progressivamente a sair das plataformas de blogues para os seus próprios domínios e alojamentos, como é o caso do blogue “Adufe”, que tendo sido criado em Julho de 2003 e depois de uma passagem por 3 plataformas diferentes, está, desde Janeiro de 2007, disponível em http://adufe.net/.

Referências bibliográficas:

  • Querido, P. & Ene, L. (2003). Blogs. Lisboa, Portugal: Centro Atlântico.

»

Como sempre neste espaço, correcções, comentários e/ou sugestões serão muito bem-vindos.