CAPTCHA Type-In

Exemplo de um captchaRecentemente trabalhei num projecto, no qual por motivos de segurança, foi necessário introduzir um CAPTCHA.

Para quem não está a ver o que é um CAPTCHA, e de uma forma bastante resumida, um CAPTCHA (acrônimo da expressão “Completely Automated Public Turing test to tell Computers and Humans Apart”) é um teste cognitivo, que permite distinguir humanos de computadores, motivo pelo qual tem vindo a ser utilizado em sistemas, aplicações e websites como uma ferramenta anti-spam.

É bastante comum encontrar CAPTCHAs, pequenas imagens contendo letras ou números, ligeiramente distorcidos, em formulários de registo, comentários, como o apresentado na imagem anterior.

No entanto, a verdade é que do ponto de vista da experiência de utilização, um CAPTCHA é sempre algo bastante frustrante e incomodativo, sobretudo porque na maioria das vezes, é de difícil resolução. É bastante frequente as pessoas terem dificuldade em conseguir identificar corretamente as letras presentes no CAPTCHA.

Eu compreendo que em determinadas situações é inevitável a introdução de um mecanismo que evite que bots, criem spam ou acedam a determinada informação indevidamente, porém para assegurar uma melhor experiência aos utilizadores teremos obrigatoriamente de encontrar novas soluções, mais simples, intuitivas e usáveis.

A Solve Media tem uma solução alternativa bastante interessante, como podem ver no vídeo seguinte, à qual chamaram CAPTCHA Type-In. Em vez de apresentar ao utilizador uma imagem contendo letras ou números distorcidos, o CAPTCHA Type-In caracteriza-se por ser uma espécie de banner publicitário a um produto ou serviço, contendo um slogan, que tem de ser introduzido pelo utilizador. Segundo a Solve Media, um CAPTCHA normal leva aproximadamente 14 segundos a ser ultrapassado, enquanto para o CAPTCHA Type-In apenas são necessários 7.

Na página “Creative Gallery” da Solve Media é possível ver vários exemplos do CAPTCHA Type-In, como por exemplo este relativo a uma campanha do McDonalds.

mcdonalds_displayPondo de parte as questões da robustez e do nível de segurança desta solução, o CAPTCHA Type-In parece-me ser uma ideia bastante interessante e criativa, ao aliar algo tão frustrante como um CAPTCHA com a transmissão de uma mensagem publicitária, de simples percepção por todos, num resultado que me atreveria a afirmar ser benéfico para todas as partes.

O que vos parece esta ideia?

Como nota adicional, segundo esta discussão no StackOverflow, é possível arranjar quem efetue 500 testes em CAPTCHAs por apenas $12, o que diminui a utilidade do CAPCTHA como obstáculo para o uso abusivo de um determinado serviço.

Foto autoria de: jasonEscapist via Compfight cc

Bem-vindo 2013

Feliz 2013

Antes de mais, espero que tenham tido uma óptima entrada em 2013.

Tal como tem acontecido com os últimos anos, parece que 2012 passou bastante depressa. Ainda parece que foi ontem, que celebrávamos a entrada em 2012, um ano para o qual nos tinhamos andado a mentalizar que seria bastante difícil.

Passados os 12 meses de 2012, o balanço até é bastante positivo, tanto a nível pessoal, como profissional. Honestamente, se conseguir que 2013 seja igual a 2012 já será bem bom.

Consolidar

Ao nível pessoal, diria que este ano foi sobretudo um ano de consolidação. Sendo uma família de 5, as despesas parece que nunca acabam, mas com alguma racionalização conseguimos levar o barco a bom porto.

Os nossos pequenos continuam a crescer a uma velocidade impressionante. A Leonor, a nossa chinoca, já fez 2 anos, o Eduardo, 3 e a Luisa, que está uma autêntica crescida, já fez 5 em Dezembro. Em princípio, se tudo correr bem, este ano já irá entrar para o 1.º ciclo.

Usabilidade e Front-End

Na verdade, também poderia descrever o meu ano de 2012, ao nível profissional, como um ano de consolidação. Trabalho não me tem faltado na ZON, desde diversos projectos de usabilidade web (entrevistas com utilizadores, card-sortings, arquiteturas de informação, wireframes, criação de protótipos, testes de usabilidade, etc.), até ao desenvolvimento de front-ends, utilizando HTML5 / CSS3 / JQuery, seguindo a abordagem “Responsive Web Design“. Foi um ano bastante positivo. Felizmente, quando me levanto de manhã, sinto-me bastante motivado para ir trabalhar, porque tenho a sorte de gostar muito do que estou a fazer na ZON.

Ao mesmo tempo, graças ao convite da @VirginiaCP, comecei a dar formação na Flag sobre noções básicas de usabilidade, arquitetura de informação e web design, às Academias Flag de Marketing Digital, algo que me deu bastante gozo.

e para 2013?

Muito provavelmente 2013 será um ano mais difícil do que foi 2012. No entanto, há que ter esperança e dar o nosso melhor, todos os dias.

De resto, não há grandes planos, manter o mesmo percurso tanto a nível pessoal, como profissional, com um pequena alteração, tentar escrever com maior frequência neste espaço, do qual tenho muitas saudades.

Um Excelente 2013 para todos.

Imagem da autoria de Nukamari

A importância de uma boa “customer experience”

Customer experience is

Assim de repente não é fácil apresentar uma definição para “Customer Experience“, no entanto penso que estamos de acordo que todas as empresas deveriam aplicar-se ao máximo para oferecerem a melhor experiência possível aos seus clientes.

Recentemente, a revista Fast Company publicou um excelente um artigo sobre como providenciar uma excelente experiência aos seus consumidores, através de 6 disciplinas complementares. O artigo, cuja leitura recomendo vivamente, intitula-se “The 6 Disciplines Behind Consistently Great Customer Experiences“.

Para mim, uma das passagens mais importantes no artigo reforça a ideia de que temos que comunicar com os nossos clientes de acordo com a sua especificidade. Ou seja, não podemos tratar todas as pessoas da mesma forma, porque nem  todas tem a mesma informação, o mesmo contexto, as mesmas necessidades.

“When Geek Squad, the U.S.-based computer services company, interacts with its customers, it deals with them differently, depending on which customer archetype they correspond to.”

 

Recursos para projectos “Responsive”

Palantir - Breakpoints
Breakpoints do site Palantir.net, presente no site mediaqueri.es

Nos últimos 14 meses, parte das minhas responsabilidades na ZON Multimédia têm consistido em criar mockups em HTML/CSS/JS (sobretudo usando JQuery), para diversos portais sobretudo internos, que posteriormente as equipas de desenvolvimento integravam na respectiva solução.

Para além de termos começado a desenvolver todos os nossos projectos em HTML5, nalguns portais (sobre os quais espero poder falar mais detalhadamente em breve) foi tomada a decisão de seguir uma abordagem “Responsive“, de forma a que o interface destes portais se ajuste de uma forma inteligente ao ecrãs em que está a ser visualizado.

Porém, em portais mais complexos a utilização da abordagem “Responsive Web Design (RWD)” traduz-se no aparecimento de alguns problemas de difícil resolução. Algumas das dificuldades mais comuns na utilização desta abordagem estão relacionados com menus de navegação com vários níveis, utilização de imagens (evitando que o utilizador num telemóvel tenha que fazer download de uma imagem que não precisa), formulários complexos e tabelas com várias colunas, entre outros.

Felizmente, em situações mais complexas, através uma pesquisa pela net vai sendo possível encontrar soluções para os nossos problemas, utilizadas por outras pessoas, em situações bastante semelhantes.

Para facilitar esta partilha de conhecimento, Brad Frost (um dos developers que tenho seguido mais de perto, sobre RWD) criou recentemente o site “This is Responsive“, no qual é possível ter acesso a diversos recursos e notícias sobre a abordagem “Responsive” e ainda um banco de padrões para projectos “Responsive“. Definitivamente um importante site a não perder se andarem a trabalhar em projectos “Responsive“.