Wishlist

Macbook Air

Há muito tempo que queria incluir neste blog uma página com uma Wishlist, com uma lista de artigos que gostava de poder comprar.

Cheguei a procurar serviços online, nos quais pudesse criar uma lista apelativa, com imagens. Algo que na minha cabeça usava alguns dos bons princípios de publicação no Facebook, que permitisse por exemplo colocar um link, a partir do qual a publicação iria propor um thumbnail e eu ainda pudesse acrescentar um texto descritivo complementar e, quem sabe, o preço. Por estranho que possa parecer, não encontrei nenhum serviço deste género, que me agradasse minimamente. Assim, acabei por voltar à minha ideia principal.

Em vez de inventar e fazer a lista manualmente, encontrei um plugin que me pareceu interessante, o Delicious Wishlist for WordPress. Bem sei, que nas últimas semanas se tem falado muito do fim do Delicious, mas enquanto isso não se concretizar parece uma boa solução, de fácil utilização. Basta usar a tag wishlist, nos bookmarks guardados no Delicious e eles automaticamente aparecem na página agora criada.

Como é natural, esta página está em constante actualização, pelo que a qualquer momento podem ser incluidos novos itens.

Se este Natal estiverem uns mãos largas, estejam à vontade para me oferecer qualquer um destes artigos.

Facebook Places e Facebook credits

Facebook Places

A maioria do serviços online baseados na localização (lbs: location-based services), como o Foursquare ou o Gowalla, oferecem títulos ou emblemas, como recompensa por um conjunto de actividades, como criar um x número de spots ou ser o utilizador com mais check-ins num spot.

Entretanto algumas marcas, como por exemplo, a Starbucks (nos EUA) apercebendo-se das potencialidades destes serviços online, começaram a oferecer recompensas reais.

Com a entrada do Facebook nesta área, com o Facebook Places acho que muito provavelmente poderá surgir um novo tipo de recompensa, “dinheiro virtual“. Parece-me bastante plausível que o Facebook, em troca do cumprimento de determinados objectivos, possa dar como recompensa aos utilizadores do Places, créditos do Facebook, os quais podem ser utilizados em diversas aplicações do Facebook, como por exemplo o Farmville.

O que vos parece?  Preferem ser o mayor do vosso restaurante preferido ou ganhar x créditos do Facebook, que pudessem gastar em qualquer aplicação?

A nossa nova aventura: Família Verso

Família VersoAo final de um mês de árduo trabalho (e para não variar de total ausência deste espaço) foi finalmente lançado o meu mais recente projecto, com o apoio da Toyota Caetano Portugal, a iniciativa “Família Verso“.

Ainda nos custa a acreditar que é verdade, mas numa iniciativa totalmente pioneira em Portugal, durante 6 meses 1 ano, eu e a minha família iremos experimentar livremente um Toyota Verso, partilhando a nossa experiência num blog (http://www.familiaverso.net) onde também iremos abordar diversas situações relacionadas com o nosso dia a dia, enquanto família numerosa.

Para além deste blog, a “Família Verso” também está presente nas redes sociais (Facebook, Twitter, Flickr, YouTube).

A partir de algumas iniciativas de menor escala, que já se realizaram em Portugal, lançamos o desafio à Toyota Caetano Portugal. A receptividade foi a melhor possível e desde início de Agosto que andamos por ai, a experimentar o Verso.

Por isso acompanhem a família Verso nesta aventura, no blog ou nas redes sociais (FacebookTwitterFlickrYouTube). Comentem, enviem-nos sugestões de conteúdos, partilhem as vossas dúvidas, etc. Estamos a contar com a vossa participação.

Actualizado às 09:37m de 13.09.2010

Ux Lx 2010

Screenshot do site da Ux-Lx

Começa amanhã, no Centro de Reuniões da FIL, a Ux-Lx, uma conferência dedicada à usabilidade e à importância crescente da experiência dos utilizadores, vulgarmente denominada por “user experience”, organizada pelo Bruno Figueiredo (@brunofigueiredo).

O programa é muito bom, mesmo, uma vez que iremos contar com a presença de alguns dos maiores especialistas nesta área, como o Jared Spool, a Donna Spencer, o Peter Merholz ou Steve Krug, autor do muito conhecido “Don’t make me think!”, entre muitos outros excelentes oradores. Honestamente, acho que melhor conjunto de oradores que este era muito complicado.

Felizmente irei estar por lá nos 3 dias, onde irei assistir a 2 workshops, às open sessions e, por último, à conferência propriamente dita, na 6.ª feira. Em relação aos workshops, entre muitas hesitações acabei por me inscrever no da Donna Spencer –  Information Architecture: Just the Essentials e no Product Strategy and Planning Tools do Peter Merholz, sobre o qual tenho bastante curiosidade.

Se alguém estiver pela Ux-Lx e quiser tomar um cafézinho ou, dar 2 dedos de conversa, twittem, digam qualquer coisa, que eu e o resto do pessoal da Active Media (@active_media) estamos sempre disponíveis para conhecer novas pessoas e trocarmos ideias.

A presença do Socialite no Twitter

socialite

A minha faceta geek, leva-me a frequentemente experimentar novas aplicações. Recentemente instalei no meu mac, a aplicação “Socialite” anteriormente, conhecida por Eventbox.

Esta aplicação desktop para MACs permite actualizar e acompanhar vários serviços online como o Twitter, o Facebook, o Flickr e Digg, e ainda ler os feeds da nossa conta do Google Reader, ou mesmo feeds directos, num único interface.

Ora bem, seria natural que uma empresa com uma aplicação com estas funcionalidades soubesse utilizar uma ferramenta como o Twitter, certo? Errado. Presente no Twitter desde 6 de Outubro, a conta @socialiteapp já tem 2 891 followers, o que não é nada mau. Porém até ao momento não segue ninguém.

Como é possível que ao final de 2 meses, a conta de uma das melhores aplicações para gerir presenças em serviços sociais não seguia ninguém no Twitter?

Quote [1] – RoI

Why are we trying to measure social media like a traditional channel anyway?
Social media touches every facet of business and is more an extension of good business ethics.”

“Why are we trying to measure social media like a traditional channel anyway? Social media touches every facet of business and is more an extension of good business ethics.”

Erik Qualman

Resumo da SHiFT

SHiFT08 closing session

De uma forma muito directa e resumida, diria que foram 3 dias excelentes, com mais de 10 workshops, 50 sessões e cerca de 250 participantes, provenientes de 12 países. Um enorme sucesso.

Os meus parabéns a toda a organização, comandada pelo Pedro Custódio. Na minha opinião fizeram um trabalho brutal, que merece ser reconhecido e elogiado. Venha a SHiFT09.

Quem não teve hipótese de estar presente na SHiFT08, pode ver as inúmeras fotos existentes no Flickr com a tag SHiFT08, ou consultar as apresentações de algumas sessões, que começar a estarem disponíveis no SlideShare.

Por último, deixo-vos o vídeo final da SHiFT.