A nossa eterna dependência dos apoios do Estado

Como é óbvio eu compreendo a situação em que os agricultores da zona oeste se encontram, depois das intempéries da semana passada, nas quais muitos perderam o trabalho de muitos anos, mas não percebo as suas críticas ao Governo.

De acordo com as notícias dos últimos dias, os prejuízos já foram avaliados em cerca de 15 milhões, tendo o Governo já anunciado que “serão activados de imediato os instrumentos financeiros à disposição da tutela e que vão permitir um apoio até ao montante de 50 por cento a fundo perdido.

Ou seja, se percebi bem as notícias, o Governo irá apoiar os agricultores, dando-lhes a fundo perdido 50% dos montantes que eles necessitam para recuperar as estufas e outras coisas.

É esta medida que não é suficiente para os agricultores? Se infelizmente, existir uma inundação no escritório de uma determinada empresa, e o seguro não pagar, o Estado não dá aos patrões qualquer apoio por esta perda. Por isso, perdoem-me os agricultores do Oeste, mas a mim parece-me uma medida mais do que justa por parte do Governo.

Já agora, não era suposto estes senhores agricultores terem seguros para intempéries, ou (como também não me espantaria) os seguros para a actividade agricola não cobrem intempéries?

  • http://blog.osmeusapontamentos.com/ Vitor Silva

    >>não era suposto estes senhores agricultores terem seguros para intempéries

    a questão é mesmo essa de não haver.
    e quanto ao fundo perdido, o facto de o governo dizer que dá é só meia questão… depois falta dar mesmo… isso pode ser daqui a um mês ou daqui a um ano, nunca há certezas nisto.

  • http://www.dowhile.info Cláudio Franco

    Vivo exactamente nessa zona e infelizmente conheço essa realidade, ainda que nao me tenha afectado.

    Em relação aos seguros a realidade é esta: Algumas seguradoras (2 ou 3) fazem seguros para as estruturas e equipamentos, mesmo esses, têm que ser estruturas de topo. Estufas de metal, que custam em média uns 10.000 Euros por uns miseros 200m2.
    Mesmo essas que fazem seguros, fazem com valores absolutamente ridiculos.

    Daí essa comparação com os escritórios não ser válida. Onde estou temos seguro contra tudo e oferta não falta. Cobre estruturas, computadores e se não me engano até um determinado valor para “cobrir” os dias em que não poderemos trabalhar em caso de incendio/derrocada/etc.

    Na área Agricola as coisas são bem diferentes, além de ser complicado (muito) ter um seguro que possa cobrir a estrutura é praticamente impossivel ter um que segure as colheitas, porque segundo as seguradoras “são de risco demasiado alto”.

  • http://www.criseedinheiro.com Pedro T

    O mal da subsisidio depedência, é mesmo esse – subsidia-se a depdência e não se arranja forma de premiar o empreendedorismo e a competência. Se é certo que em alturas de catástrofes todas as ajudas são bem vindas, é também certo que deve-se ajudar a criar e não a recuperar o que se perde na execução de um qualquer negócio. Já agora, estou com problemas de tesourariua na minha empresa, não há um subsidio que me valha?