O pão com manteiga e as eleições europeias

Eleições europeias

Ainda a propósito das eleições europeias e do meu post anterior “As eleições, o Twitter e as redes sociais“, parece-me que vários partidos tiveram o cuidado de apostar em diversas ferramentas sociais como Blogs, Twitter, Facebook e You Tube, entre outras, mas esqueceram-se do básico, do pão com manteiga, ou seja, esqueceram-se de apresentar, nos seus sites, os seus compromissos para estas eleições, de uma forma simples e directa.

Esta manhã, numa tentativa de me informar um pouco mais sobre os compromissos que alguns candidatos apresentam para estas eleições, para poder confirmar a minha intenção de voto, pude verificar que em vários sites dos partidos políticos portugueses não é fácil encontrar esta informação. Em nenhum dos vários sites que consultei, existe uma página simples que apresente de uma forma directa o que defendem os candidatos portugueses às eleições europeias.

Na minha opinião, a maioria dos partidos aposta(ra)m em várias ferramentas sociais online, sem as enquadrarem numa estratégia online integrada e sem fundamentalmente, terem consolidado o básico, ou seja, sem desenvolverem um site simples, apelativo, com um inteface amigável, que cumpra as boas práticas de acessibilidade e usabilidade, que antes de mais, permita que os utilizadores/cidadãos encontrem as informações mais importante, como o perfil dos candidatos ou os compromissos que estes defendem.

  • http://2.0.bloguite.com/portugal/web-marketing-e-politica-20.html Mário Andrade

    Ainda recentemente tive oportunidade de comentar sobre o assunto no 2.0 Webmania. A meu ver os políticos não compreendem a web social e vêem-na como uma forma de divulgação de conteúdos sem se preocuparem o suficiente em encurtar a distancia entre um simples utilizador e o mundo politico.

    No exemplo que dei no 2.0 Webmania dei o exemplo do (Obama que tirou 2 minutos para enviar uma mensagem aos utilizadores demonstrando que está ciente do que a população dos EUA está a fazer para ajudar a comunidade e o país e apela para que divulguem mais essas iniciativas.

    O mais parecido que temos com isso são mensagens do Presidente da Republica mas que são sempre num tom muito politico.