Eleições 2009

Como é do conhecimento público, o ano de 2009 será marcado por 3 actos eleitorais, as eleições para o Parlamento Europeu, as eleições para a Assembleia da República e as eleições autárquicas.

Em relação à data das eleições europeias não havia muito a fazer, estas teriam de realizar-se em todos os Estados-membros da União Europeia entre 04 e 07 de Junho. Sobram, então, os dois actos eleitorais nacionais.

Pois bem, depois de nas últimas eleições europeias, a abstenção ter quase chegado aos 63 % e num ano em que só se houve falar da crise mundial e da obrigatoriedade de cortar custos em tudo e mais alguma coisa é bem provável que tenhamos de ir votar 2 vezes com um intervalo de, no máximo, 3 semanas. Pelo o que a comunicação social tem vindo a referir, em princípio o governo irá agendar as eleições autárquicas para dia 11 de Outubro e o Presidente da República as legislativas para dia 20 ou 27 de Setembro,  de forma a não perturbar a campanha eleitoral para as autárquicas.

Será que não podíamos ter um único acto eleitoral, por exemplo dia 11 de Outubro, em que votássemos para a Assembleia da República, Câmara Municipal, a Assembleia Municipal e a Junta de Freguesia, poupando uma verba considerável na organização de uma 3.ª eleição dispensável e um ida desnecessária dos cidadãos às urnas.

Formas alternativas de mobilidade

Desde sempre me interessei por propostas alternativas de mobilidade, que possam facilitar o nosso dia-a-dia e sobretudo que sejam mais eficientes energeticamente e amigas do ambiente. Apesar de cada vez mais pessoas aderirem ao carpooling, a maioiria das pessoas (incluindo eu, por falta de alternativas racionais) faz os seus percursos diários, sozinha em carros de 5 lugares, o que se traduz num gigantesco desperdício energético e na saturação das nossas estradas.

P.U.M.A.

Há algumas semanas, algumas pessoas, incluindo o Pedro Custódio, divulgaram o mais recente projecto da Segway, o protótipo P.U.M.A.. Partindo da tecnologia das segways que existem actualmente no mercado, a G.M. e a Segway estão a desenvolver um protótipo com capacidade para 2 pessoas, ao qual deram o nome de P.U.M.A. – Personal Urban Mobility & Accessibilit. No vídeo seguinte, é possível ver as potencialidades deste projecto. Espero que com todos os problemas económicos que a GM, está a atravessar este projecto não seja posto de parte.

Gocycle

É claro que existe sempre pelo menos uma alternativa amiga do ambiente, as bicicletas. Porém nalgumas cidades como Lisboa, ou para distâncias mais compridas, não é fácil equacionar uma bicicleta como uma verdadeira alternativa de mobilidade.

Felizmente existem, pelo mundo fora, vários projectos com o objectivo de desenvolver uma bicicleta eléctrica, de reduzidas dimensões, não muito pesada e portátil.

Recentemente, descobri um projecto que me parece reunir todas estas características, a Gocycle. Para além de ser bastante apelativa, é flexível, confortável, eléctrica, não muito pesada (entre 12 e 16kgs) e, mais importante, é portátil uma vez que é possível guardá-la facilmente numa pequena mala. Imaginem as potencialidades de uma bicicleta deste tipo, se por exemplo fosse desenvolvido um acessório, em que a mala fosse uma mochila, permitindo que uma pessoa fizesse metade do seu percurso diário de metro e a partir daí, o restante percurso na Gocycle. Infelizmente, um dos únicos problemas da Gocycle deve ser mesmo o preço.

Gocycel

ULTra

Porém, tenho de confessar que a solução que mais me agrada, é a proposta pelo projecto ULTRa PRT. A essência deste projecto traduz-se em pequenos veículos sem condutor, nos quais o passageiro indica o destino e de seguida o veículo, entrando numa espécie de carris, segue o seu percurso, atrás dos outros veículos. De acordo com a sua apresentação:

“ULTra is a revolution in sustainable public transport, providing on-demand driverless travel.

ULTra offers an advanced form of PRT (Personal Rapid Transit), ready for application, giving effective, low cost and sustainable transport for cities, airports and special developments worldwide.”

Mas, o melhor mesmo é verem o vídeo.

Pessoalmente acho que um sistema deste género traria enormes vantagens para a mobilidade urbana de qualquer cidade, acabando com os problemas de estacionamento e com a falta de civismo de alguns condutores. Actualmente, encontra-se em fase de conclusão a primeira implementação deste projecto, no aeroporto de Heathrow.

Eventualmente em próximas implementações, seria interessante que fossem acrescentadas novas funcionalidades que poderiam aumentar a eficiência deste meio de transporte alternativo como fossem, por exemplo a existência de viaturas para apenas 2 ocupantes ou a obrigatoriedade de ao chamar um veículo, o utilizador referir o destino, para caso nos minutos seguintes passasse por ali, um veículo para o mesmo destino, pudessem partilhar esse veículo.

E vocês, em que formas alternativas de mobilidade acreditam?

O pão com manteiga e as eleições europeias

Eleições europeias

Ainda a propósito das eleições europeias e do meu post anterior “As eleições, o Twitter e as redes sociais“, parece-me que vários partidos tiveram o cuidado de apostar em diversas ferramentas sociais como Blogs, Twitter, Facebook e You Tube, entre outras, mas esqueceram-se do básico, do pão com manteiga, ou seja, esqueceram-se de apresentar, nos seus sites, os seus compromissos para estas eleições, de uma forma simples e directa.

Esta manhã, numa tentativa de me informar um pouco mais sobre os compromissos que alguns candidatos apresentam para estas eleições, para poder confirmar a minha intenção de voto, pude verificar que em vários sites dos partidos políticos portugueses não é fácil encontrar esta informação. Em nenhum dos vários sites que consultei, existe uma página simples que apresente de uma forma directa o que defendem os candidatos portugueses às eleições europeias.

Na minha opinião, a maioria dos partidos aposta(ra)m em várias ferramentas sociais online, sem as enquadrarem numa estratégia online integrada e sem fundamentalmente, terem consolidado o básico, ou seja, sem desenvolverem um site simples, apelativo, com um inteface amigável, que cumpra as boas práticas de acessibilidade e usabilidade, que antes de mais, permita que os utilizadores/cidadãos encontrem as informações mais importante, como o perfil dos candidatos ou os compromissos que estes defendem.