Nem direita, nem esquerda

Ao contrário do que algumas pessoas possam ter pensado, o meu último post não tinha nada a ver com política, pelo que podem ficar descansados que não me alistei em nenhum partido.

Apesar de em tempos, ter pertencido a uma juventude partidária, com o passar dos anos tenho reforçado a minha convicção de que não me revejo numa dicotomia simples e demasiado básica, de esquerda – direita.

Acredito sim, em planos e propostas estratégicas de médio e longo prazo, com objectivos claros, baseados em análises imparciais. Acredito sim, em posições concretas, devidamente justificadas, face a problemas concretos, como a interrupção voluntária da gravidez ou a regionalização.