3.º encontro de weblogs: notas prévias e 1.º dia

Tal como tinha referido no post anterior, estou no Porto, no 3º Encontro Nacional e 1º Encontro Luso-Galaico sobre Weblogs.

Antes das notas prévias, tenho de reafirmar que acho que estes encontros são óptimos para conhecer (e conversar) com algumas pessoas, como foi o caso do José Luis Orihuela (http://ecuaderno.com/), o Alex Primo ou mesmo o Luis Santos (http://atrium.wordpress.com/) (com quem nunca tinha falado pessoalmente), entre outros e para reencontrar velhos conhecidos como a Mónica André (http://b2ob.blogspot.com/), o Ricardo Bernardo (http://zone41.info/) ou mesmo, o Rogério Santos (http://industrias-culturais.blogspot.com/), orientador da minha dissertação de mestrado.

Notas prévias:

  • 3 horas de viagem de Lisboa ao Porto, no confortável Alfa-pendular, e para variar, super pontual, uma informação preciosa da vendedora do Andante, que segui à risca: metro até à Casa da Música e autocarro até ao Palácio de Cristal e eis-me no local do encontro, mesmo ao pé do Museu dos Soares dos Reis e do tão falado (e polémico) Túnel de Ceuta.
  • Internet Wireless disponível no local do encontro, só mesmo a da iniciativa e-U, com os seus conhecidos problemas, o que significou que a grande maioiria dos utilizadores tivessem muitas dificuldades em conseguir acesso à Internet. Pessoalmente, só tive sucesso utilizando o certificado e a o login e a password de outra universidade.

1.º dia

Em relação ao encontro propriamente dito, gostei sobretudo das intervenções da Catarina RodriguesBlogues regionais como espaços de cidadania e participação, da do Alex PrimoComunidades de blogs e espaços conversacionais, da do Manuel PintoBlogosfera e cidadania: perplexidades e horizontes (principalmente do debate que se seguiu) e é claro, como era previsivel, a do José Luis Orihuela, que fez uma apresentação simples, mas excelente sobre Porque é que os weblogs (não) vão acabar em 2006?.

Para terminar o dia, nada melhor que um óptimo jantar no Cais de Gaia, no Provas do Cais, seguido de uma breve passagem pelo bar Insenso, no meu primeiro “Beers & Blogs”.