É urgente aprender a vender

A cada dia que passa fico mais convicto que em Portugal existem óptimas ideias, excelentes soluções tecnológicas, mas, com raras excepções, as empresas portuguesas não as sabem vender.

Serei o único a ter esta opinião ou concordam comigo?

P.S.: Nos próximos 11 dias vou estar de férias, pelo que este blogue vai sofrer uma pausa. Reencontramo-nos em Maio.Portugal

  • http://patriciaepedro.com Pedro Custódio

    Pois é, pois é, não podia concordar mais contigo, eu detesto a palavra vender, porque acredito se acreditarmos nela, é bastante mais fácil convencer outros a juntarem-se a nós, é uma questão de confiança, é algo intuitivo.

    Mas se ao mesmo tempo há poucos que saibam “vender” ideias, também há uma falta generalizada de bons “ouvintes” em Portugal, pessoas que queiram ouvir a tua ideia e não transformar a tua ideia na deles…

  • http://zone41.net ricardo

    Se fossem só as soluções tecnológicas que não são bem “embaladas”, estavamos menos mal.

    Não vale a pena inventar a roda é o que eu lhes digo.

    Debato-me diariamente com pessoas desse tipo, que pensam que estão a ter a melhor abordagem para a resolução de um problema, depois apresentamos a solução e ainda assim acham que (eles) estão a fazer o trabalho da melhor maneira.

  • Bruna Correia

    Eu penso que existe ainda a antiga lógica do “vender (incutir) aquilo que se produz” ao invés de se “produzir aquilo que vende”, ou pelo menos tentar adaptar minimamente a oferta disponível à real procura.(e lá se relembram as décadas de atrazo em relação ao “mundo lá fora”)…
    No entanto, o baixo nível de produção nacional dificulta bastante a concretização da segunda teoria, sendo necessária uma extenuante ginástica por parte dos gestores lusos de forma a responderem às particularidades do mercado nacional.
    Adjacente a este problema estrutural está a falta de dinâmica e eficiência de alguns profissionais das áreas comerciais, apoiados ou negligenciados por responsáveis ainda menos eficientes.
    Pouco acompanhamento, baixo nível de auditorias, fraca política de incentivos, pouco ou nulo investimento em boa formação são algumas das lacunas existentes no sistema de vendas das nossas empresas.
    Uma questão de raiz e de atitude.