A caminho de casa

Como podem perceber pelo meu post anterior, a LIFT06 (ou deveria eu dizer “o LIFT”?) acabou. Foi a minha primeira experiência numa conferência internacional, que espero poder repetir, quem sabe na Reboot8, já em Junho.

Após mais uma noite, de sono difícil, no Hotel St. Gervais, e de um dia de vivência da cidade de Genebra, com os meus companheiros de conferência, estou finalmente no Aeroporto Internacional de Genebra.

O Aeroporto de Genebra fica a escassos 10 minutos do centro da cidade, apanhando o trolley n.º 10. As suas condições são genericamente aceitáveis, mas no meu entender inferiores ao Aeroporto da Portela. Neste momento, em que são precisamente 18h22 em Genebra, não existem voos cancelados nem voos adiados, com uma ou outra excepção, mas a verdade é que a zona de partidas do Aeroporto está a abarrotar. Os lugares vagos nas zonas de espera para entrar no “gate” de embarque são muitíssimo escassos. Por todo o lado há pessoas sentadas no chão. Será que há planos para construírem um novo aeroporto?

P.S.: Apesar de no Aeroporto existir uma rede wireless de acesso à Internet paga, chamada "Mobile", existe uma outra paralela de nome "hidden", totalmente gratuita. No mínimo muito estranho.

LIFT06GenebraAeroporto

  • http://weblog.jcraveiro.com/ João Craveiro

    Pelos vistos, era suposto estar hidden. 😉

  • http://www.bitacoras.org victor abellon

    Hola

    Muito obrigado pelo tuo comentario. Eu nao sabia que houvese mesmo un portugues no lift06. Eu hubese gostado muito de te conhecer.

    Parabens!!! O teu blog e muito bom
    con saudade de Lisboa

    victor
    caramelosmog.net

  • http://blog.delaranja.com Andre Ribeirinho

    Uma coisa que senti ao visitar Genebra foi a falta de sensibilidade dos Suiços (lado Françês) para uma sinalização cuidada.

    Não foram raras as vezes em que para perceber uma direcção, utilizar a máquina dos bilhetes dos transportes públicos, encontrar um WC, etc. não tivesse de me resignar a perguntar ao Genovês. Não que me importe mas esperava um pouco mais do lado organizacional dos Suiços.

    O aeroporto. como dizes, não foge à regra e parece estar mal dimensionado. Também não vi nenhuma indicação de que a situação estivesse a ser revista. Feedback nesse sentido seria muito útil.

  • Pingback: howard johnson