“Blogosfera: popularização em curso” – comentário

Se por um lado tenho concordo inteiramente com as recentes vozes que afirmam que a blogosfera portuguesa é mais do que os mediáticos blogues de cariz político, como o "Causa Nossa" ou o "Blogue de esquerda" (para mim o "Abrupto" é mais do que um blogue político, quem o visite regularmente percebe o que quero dizer), não posso concordar com a maioria das ideias expressas por Paulo Querido na sua “crónica” semanal na revista Única, suplemento do Expresso, reforçadas aqui. A saber:

  1. Será que a política portuguesa é a única representante da nossa faixa intelectual?? Não serão os vários blogs sobre cultura, surgidos nos últimos tempos, representantes da intelectualidade nacional? Ou o exemplo muito recente da lista de blogues de ciência em Portugal lançada pelo ContraFactos & Argumentos?? No entanto, acho esta questão da representatividade da blogosfera portuguesa, de relativa importância. A blogosfera portuguesa, tal como disse José Pacheco Pereira no ciclo de debates do DN “A blogosfera e o cidadão”, é um espelho da sociedade portuguesa, com todas as suas virtudes e defeitos.
  2. Não tendo nada contra o blog em questão, que confesso até ao passado sábado, me era totalmente desconhecido, seria interessante que Paulo Querido explicasse como chega à conclusão provável que “Hoje, o blogue mais lido do espaço português será provavelmente o Hollywood (http://hollywood.weblog.com.pt), extrapolados os dados disponíveis sobre o acesso de leitores a esses e aos outros blogues de que são conhecidos  registos públicos.” Será que alguém já compreendeu esta extrapolação?
  3. Ninguém tem dúvidas que um dos blogues mais visitados em Portugal é o Abrupto de Pacheco Pereira. No entanto bastam algumas visitas ocasionais ao blogómetro do weblog.com.pt, para facilmente se perceber que “The Tao Of Mac” é efectivamente o blogue português mais visitado actualmente. Qual a razão para o seu contínuo esquecimento e principalmente para o seu esquecimento no artigo de Paulo Querido sobre os blogues mais lidos em Portugal? Será porque apesar de ser escrito por um português, é escrito em inglês?
  4. Na minha opinião, a comparação entre a necessidade de os recordistas de audiências da blogosfera terem de ser citados por outros blogues, e "A quadratura do círculo" e os "Morangos com açúcar" é um pouco absurda. Se percebi bem, Pacheco Pereira pretende dizer que um blog para ter audiências necessita de ser citado, para ganhar visibilidade. Um qualquer blogue com crónicas políticas muito boas, terá audiências miseráveis se este não for conhecido dos leitores da blogosfera, ou seja, se este não for divulgado em espaços com alguma audiência. Comparar este mecanismo próprio da blogosfera a um qualquer programa de televisão, não faz qualquer sentido. No entanto devo dizer que, não fazendo sentido a comparação de Paulo Querido, concordo com a sua afirmação sobre a “A quadratura do círculo” e a sua influência, mas nunca como contra argumento ao argumento de Pacheco Pereira.

Actualizado às 15:42 de 22.08.2005: Depois de ler este post de Paulo Querido, compreendi finalmente a extrapolação que ele faz em relação ao blog Hollywood. De acordo com explicação avançada, a extrapolação dos dados é feita com base nas estatísticas do weblog.com.pt e não do Sitemeter. Continuo a não concordar com a extrapolação, mas pelo menos já a compreendi. 

  • http://www.jcraveiro.com/v3/ João Craveiro

    Quer-me parecer que os “suspeitos do costume da Blogosfera” ignoram totalmente a vertente tecnológica dos blogs — só assim é possível que o sr. JPP considere os últimos posts da Bomba Inteligente “[um]a utilização pioneira em blogues portugueses do som e imagem” (já muitos colegas nossos do P* publicaram conteúdos audiovisuais, com o extra de que não os pespegaram à frente dos nossos olhos/ouvidos sem nosso consentimento ou pedido expresso, qual SPAM). Se o homem descobrir as Geolocalised Photos do Litux, é capaz de não aguentar tanta tecnologia junta e ter um colapso cardíaco…

  • http://www.litux.org Bruno Rodrigues

    “The Tao Of Mac” é efectivamente o blogue português mais visitado actualmente. Qual a razão para o seu contínuo esquecimento e principalmente para o seu esquecimento no artigo de Paulo Querido sobre os blogues mais lidos em Portugal? Será porque apesar de ser escrito por um português, é escrito em inglês?

    Porque para alem do Rui ser Português, nada mais tem a ver com Portugal. Qual foi a ultima coisa sobre o nosso país que viste lá, para alem de umas fotos que se percebe que são de cá, mas não têm texto nenhum, e os habituais rants a queixar-se do país, tal como se queixa de tudo o resto. 😉
    Alem disso, não dá para se basear no ranking do weblog.com.pt, pois não é possivel registar outros sites lá. O registo falha, e a dita pessoa responsável nunca se dignou a responder aos meus três mails, enviados ao longo dos ultimos anos.

  • http://pauloquerido.net Paulo

    Caro HNS, sobre o Tao of Mac, de que muito gosto, já aqui foram dadas as explicações.

    Recordo que a reportagem no Expresso não pretendia medir audiências nem eleger o rei da blogsfera, mas sim chamar a atenção para uma mudança, visível um pouco por todo o lado mas também na evolução AO LONGO DE UM ANO do Sitemeter dos blogues mais vistos, com blogues menos políticos a terem crescente protagonismo e leitura.

    É aliás por se ver a “perder” protagonismo que JPP veio a terreiro denegrir-me (a mim, não ao artigo – o que devia fazer as pessoas pensarem um bocado).

    Sobre audiências e estatísticas, recomendo-lhe um novo post meu em http://pauloquerido.net/2005/08/contributo_para_a_discussao_sobre_estatisticas

  • http://the.taoofmac.com Rui Carmo

    (suspiro)

    Uma pequena nota, visto que estamos todos “aqui”:

    O comentário do Bruno é, infelizmente, típico, e perfeitamente demonstrativo das razões porque raramente me dou ao trabalho de “participar” na blogoesfera portuguesa desde que saí do na-cama.com – seja o que for que se faça, ou seja o que for que se diga, há sempre alguém pronto a debitar a crítica fácil, inane, estéril de argumentos reais.

    Discute-se por discutir, e escreve-se ao despique – uma forma de estar que, a meu ver, derruba pela base quaisquer pretensões que a “blogoesfera” nacional possa ter em termos culturais ou de opinião credível.

    Portugal está, infelizmente, mais avançado em tecnologia do que em maturidade, e o estado da “blogoesfera” nacional reflecte-o perfeitamente – e só quando isso mudar é que poderei achar interessante voltar a escrever em português.

  • http://comunicartedesign.blogspot.com/ João Paulo

    Foi um artigo bastante interessante no sentido em que se pode verificar que a política apesar de ninguém gostar dos seus actores ainda existem muitos a comentá-la.
    No entanto a blogosfera portuguesa tem nos últimos tempos povoada por novos blogs, de caracter informativo, proporcionando aos seus leitores, visitantes estarem actualizados em diversas temáticas.