“A Blogosfera e o Cidadão” – comentários e desafio

Decorreu ontem na Cordoaria Nacional, o último debate do “Ciclo de debates do DN”, no qual estive presente. Subordinado ao tema “A blogosfera e o cidadão”, o debate foi moderado por Miguel Gaspar e contou com a participação de José Pacheco Pereira e Daniel Oliveira.

Durante as quase duas horas de exposição, as cerca de 20 pessoas presentes puderam participar na troca de ideias sobre os blogues em geral e a blogosfera portuguesa, em particular. Para um resumo mais completo, aconselho a consulta do Indústrias Culturais de Rogério Santos.

No que me diz respeito, gostaria de partilhar duas ideias que retirei do evento e lançar um desafio.

Ambos os intervenientes neste debate apontam a simplicidade dos blogues, associado ao seu carácter gratuito, como um dos principais factores justificativos do crescimento exponencial do número de blogues. Pessoalmente, não poderia estar mais de acordo. Os blogues são a simplificação tecnológica da Internet, uma vez que são simples tanto na perspectiva de quem escreve e publica conteúdos, como na perspectiva de quem lê, que graças à publicação das entradas numa ordem temporal inversa tem a possibilidade de, no segundo imediato a ter entrado no blog, ler o texto mais recente. Este aspecto foi também reforçado por Pacheco Pereira, segundo o qual os blogues têm um relação temporal muito forte com os seus leitores.

Recentemente, uma amiga, colega de mestrado e jornalista ficou desempregada. Recordo-me perfeitamente de na altura lhe ter sugerido que criasse um blogue onde publicasse as reportagens que estava a terminar, de forma a mostrar o seu valor e quem sabe ter alguma oportunidade profissional. Felizmente, por ter tido rapidamente uma oportunidade de trabalho noutro órgão de comunicação social, acabou por não seguir o meu conselho. Curiosamente, no evento de ontem, Pacheco Pereira afirmou que não conseguia compreender por que motivo é que os inúmeros recém-licenciados da área de  Comunicação Social ou os jornalistas desempregados, não criam os seus próprios blogues, nos quais podem publicar as suas notícias ou reportagens, mostrando as suas capacidades. Afinal, tempo não lhes falta. Na sua opinião, os “jornalistas” que tiverem qualidade e valor, serão certamente convidados a integrar os órgãos de comunicação social tradicionais.

Como muitas vezes o mais difícil é dar o pontapé de saída, associado à vertente experimental que associei a este blogue desde o seu início e ao enorme espaço de alojamento que neste momento possuo desde que migrei para um domínio próprio, gostaria de lançar o desafio de criar um blog, por exemplo “newsblog.lisbonlab.com” ou “observador.lisbonlab.com”. Nesse espaço qualquer licenciado em comunicação social, jornalismo ou jornalista desempregado, poderia publicar gratuitamente as suas notícias, reportagens, entrevistas ou fotografias. Pessoalmente, responsabilizo-me pela disponibilização do espaço de alojamento, pela criação do blogue e pela sua manutenção. Assim que haja três interessados em colaborar neste desafio, inicio a criação do blogue. Os interessados em colaborar deverão expressar a sua vontade, enviando-me um email para lisbonlab@gmail.com.